fbpx
Entre em contato conosco através do WhatsApp

Nasa Business Style - Avenida 136, número 761, Sala B45, 4 andar / Setor Sul / Goiânia - GO / CEP: 74093-250

Entre em contato (62) 3998 1100
SAIBA MAIS !

Recebe Informações Exclusivas

Informe seus Dados para esclaremos todas as suas dúvidas!

Úlceras varicosas: conheça as causas e quais são cuidados

Data: 29 de abril de 2020 | Autor: Dr Charles Esteves
úlcera varicora

A úlcera varicosa, também conhecida como úlcera venosa é uma ferida que geralmente está localizada na parte de dentro da perna próximo ao tornozelo. Esse tipo de ferida é a complicação mais grave de quem apresenta a doença chamada Insuficiência Venosa Crônica que é um conjunto de alterações decorrentes de varizes não tratadas ou como sequela de uma trombose venosa (entupimento de uma veia interna).

 

A palavra “Crônica” já define que é necessário muito tempo para o problema se manifestar. Por exemplo, quem vai deixando as varizes permanecerem por muitos anos, vai aos poucos percebendo um escurecimento na pele, perda de pelos seguido por episódios de inflamação, às vezes coceira, dor e por um pequeno trauma ou mesmo espontaneamente, surge uma pequena feridinha que vai aumentando, aumentando e pronto! Aparece a úlcera.

 

Acontece que com o passar do tempo, o acúmulo de sangue sem oxigênio e cheio de resíduos parado nas veias começa a infiltrar os tecidos, gerando inflamação e necrose (morte dos tecidos). O sedentarismo, excesso de peso, hábito de fumar e falta de cuidados, são fatores que aceleram o aparecimento das úlceras venosas.

 

Além disso, é comum ocorrerem infecções que pioram muito a situação.

Quais são os principais fatores de risco?

A úlcera varicosa aparece em quem sofre de varizes por muitos anos e em pessoas que sofreram trombose venosa, pois o retorno venoso não acontece corretamente, o que leva a um acúmulo de sangue venoso, sem oxigênio e “sujo” nas pernas. Essa falta crônica de oxigênio e a presença de substâncias tóxicas, como radicais livres e fatores inflamatórios levam à necrose de tecidos com formação de úlcera de difícil cicatrização. É comum encontrar pessoas com úlceras há 10, 20 ou 30 anos.

 

A perna inchada com excesso de líquido dificulta a oxigenação da pele, tornando-a mais sensível e consequentemente menos resistente.

 

Os principais fatores de risco que podem contribuir para o desenvolvimento da úlcera varicosa são:

 

  • Presença de varizes;
  • Passado de trombose venosa
  • Sedentarismo;
  • Obesidade;
  • Hábito de fumar
  • Osteoartrite ou artrose dificultando atividades físicas
  • Passado de erisipelas

 

Quais são os principais sintomas?

No começo, geralmente aparece uma “coceira gostosa” que não alivia, e a “necessidade” de coçar traumatiza a pele que sem oxigênio não cicatriza facilmente gerando a úlcera. No início pode apresentar bordas irregulares e superficiais. Mas, de acordo com a evolução pode se tornar mais profunda e com bordas bem definidas.

 

Dentre os sintomas mais comuns estão a coceira, o inchaço, a queimação. A dor quando importante pode indicar que há infecção associada. A pele fica alterada em torno da ferida, podendo ficar mais seca e descamativa ou avermelhada e com erupções, além de vazamento de líquido acompanhado de mau cheiro, sendo um sinal forte de infecção.

Como é feito o diagnóstico e o tratamento?

O mais importante é o médico vascular avaliar a causa do problema. Pesquisar se tem varizes, se tem sinais de uma trombose antiga ou se tem uma outra doença associada.

 

As varizes costumam ser mais calibrosas, com defeito nas veias safenas e veias perfurantes.

 

A úlcera varicosa pode ser confundida com úlceras provocadas por outras doenças como erisipelas, vasculite, trombose arterial e diabetes. Por isso é fundamental que a avaliação seja completa e realizada por um especialista.

 

Exames de Ultrassom das veias e artérias com Doppler, exames de sangue e outros podem ser solicitados pelo profissional assistente.

 

Após essa análise o tratamento é iniciado com dois objetivos:

 

  • Eliminar a causa, ou seja, eliminar as veias que provocaram a ferida. Em nada adianta tratar da ferida sem tratar a causa. As veias doentes podem ser tratadas com Laser, Espuma densa guiada por ultrassom ou eventualmente uma cirurgia.
  • Aliviar a dor, tratar infecções, e cuidar da ferida.

Como se prevenir da úlcera varicosa?

A melhor forma de se prevenir contra a formação de úlceras varicosas é não deixar as varizes sem tratamento. Quanto mais precoce o tratamento, menor o risco de se evoluir para uma úlcera.

 

Se a pessoa sofreu uma trombose, deve fazer um acompanhamento constante com seu médico vascular, usar meias e ficar atento ao surgimento de sintomas tipo dor ou coceira que fatalmente podem desencadear uma úlcera.

 

Hábitos de vida saudáveis como não fumar, combater a obesidade, manter controlados o  diabetes e  pressão alta, ter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos com regularidade são muito importantes

 

Recomendo evitar permanecer várias horas seguidas do dia em pé ou sentado. O hábito de elevar as pernas ajuda no alívio da pressão venosa. Uma sugestão bem legal é deitar-se com as pernas elevadas em nível mais alto que o coração no período das 11:00 às 12:00 e das 18:00 às 19:00. A utilização das meias de compressão também ajudam a manter a saúde vascular e a prevenir o surgimento da úlcera varicosa.

 

Faça sempre acompanhamento com um médico vascular para evitar o surgimento de úlceras varicosas.

 

Nossa missão é educar, cuidar e amparar as pessoas com problemas de circulação. Não deixe para depois o que você pode e deve cuidar hoje.

QUER FICAR SEMPRE INFORMADO ?
CADASTRE-SE

Traçar rota
Fale Conosco Agora!